Saiba como diminuir o Imposto de Renda e ainda fazer seu dinheiro render mais


Obtenha benefício fiscal investindo no PGBL da Previdência Privada até dezembro Se você está pensando em investir em Previdência Privada, os últimos meses do ano são ideais para fazer portabilidade ou começar a aplicar. Esta é uma ótima oportunidade para aderir à modalidade de PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e obter a vantagem do benefício fiscal com relação à restituição ou ao pagamento do Imposto de Renda de 2019 (ano-base 2018).
O grande diferencial do PGBL é, sem dúvida, o benefício fiscal. São duas as condições para usufruir do direito: ter o salário ou outra fonte de renda tributável e fazer a declaração de Imposto de Renda no modelo completo, onde é possível inserir deduções.
Mas como, de fato, funciona? É assim: ao contratar um Plano de Previdência PGBL, você deve aplicar até 12% do seu salário anual no produto. Assim, esse valor renderá por anos e só será taxado no momento do resgate. Isso se chama diferimento de imposto.
“Para valer a pena, é preciso que suas outras despesas dedutíveis somadas no ano, com saúde e educação, ultrapassem os 20% da sua renda. Se os gastos forem inferiores ao percentual, os 20% de abatimento de imposto na declaração simplificada serão mais vantajosos, e o investidor não estará fazendo uso integral do benefício fiscal”, explica Sandra Blanco, consultora da Órama, plataforma 100% online de investimentos.
Longo prazo
Outro ponto importante é que o benefício fiscal só faz sentido no longo prazo. Se o prazo for superior a 10 anos, por exemplo, a “mordida” do leão cai de 27,5% para 10%. Ou seja, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido no PGBL, menor pode ser o imposto no resgate. Em resumo, a vantagem é no longo prazo, não só porque aumenta o ganho com o diferimento, mas porque o dinheiro fica rendendo juros sobre juros.
Investir em Previdência Privada é garantir a tranquilidade da sua aposentadoria e ter uma renda complementar à aposentadoria do INSS, que é a previdência pública. É ainda uma segurança em meio às mudanças do sistema previdenciário brasileiro.
Taxa de carregamento
No Brasil, é crescente o número de pessoas aplicando nesse tipo de investimento, que também vem se modernizando, diminuindo as taxas ao investidor. Sempre foi de praxe que, a cada aplicação ou resgate na Previdência Privada, a cobrança da taxa de carregamento, que gira em torno de 3% do capital, chegasse a 10%. Muitos bancos e seguradoras, no entanto, estão deixando de taxar o investidor dessa forma.
“Muitas seguradoras estão reduzindo o percentual de cobrança e até zerando. Na Órama, nós temos opções de produtos com taxa zero de carregamento. É a evolução do mercado. O aumento da concorrência está levando a isso”, explica Sandra.
Órama
Você encontra ótimas opções de Previdência Privada na Órama, uma plataforma de investimentos totalmente online. Você pode contratar diretamente um produto ou fazer portabilidade, caso já tenha um. Basta acessar o site, fazer o cadastro gratuito e começar a investir. É fácil, simples e rápido.