Safra de laranja em SP e MG deve crescer a quase 285 milhões de caixas, diz Fundecitrus


Estimativa de produção no chamado cinturão citrícola é 3% maior que a de dezembro, mas 28% menor que a registrada no ciclo passado. Brasil é o maior exportador global de suco da fruta. Safra de laranja 2017/18 alcançou 400 milhões de caixas
Divulgação
A safra de laranja 2018/19 no cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro deve alcançar 284,88 milhões de caixas de 40,8 kg, projetou nesta segunda-feira (11) o Fundecitrus, em uma elevação de 3,3% ante o esperado em dezembro.
Conforme o Fundo de Defesa da Citricultura, o novo volume estimado se aproxima dos 288,29 milhões de caixas considerados em maio de 2018, embora seja ainda 28,5% menor frente às quase 400 milhões de caixas de 2017/18.
“As chuvas se intensificaram com a chegada da primavera e, embora tenham ficado abaixo da média nos últimos dois meses, foram satisfatórias durante o principal período de colheita das laranjas Pera Rio, Valência e Valência Folha Murcha, o que contribuiu com o aumento do peso dos frutos dessas variedades”, afirmou o Fundecitrus em relatório.
Conforme a entidade, considerando-se todas as variedades, o tamanho médio foi reestimado para 260 frutos por caixa (157 gramas por fruto), contra os 267 frutos por caixa (153 gramas por fruto), com a taxa de queda de frutos média do cinturão citrícola em 16,70%.
Ainda segundo o Fundecitrus, a colheita das variedades precoces foi encerrada. Em paralelo, a colheita da Pera Rio soma 97% e das variedades Valência, Valência Folha Murcha e Natal, cerca de 92%.
No cômputo geral, 95% da safra já foi colhida.
“A redução do ritmo de colheita em comparação à temporada anterior, que nessa mesma época já tinha atingido 97%, está sendo observada nesse final de safra em função do maior volume de laranjas de terceira e quarta floradas produzidas em 2018/19”, destacou a entidade.
O Brasil é o maior exportador global de suco de laranja.