Pai disfarçado e visitas na prisão: relatório resgata lembranças dos filhos da ditadura na Paraíba

?Eu estava chegando da escola e vi meu pai saindo da nossa casa. Ele me abraçou e disse que voltava logo. Nunca mais voltou.? Esta é a lembrança que Naúgia Araújo, 63, tem do dia em que o pai, Pedro Fazendeiro, então com 55 anos, saiu de casa para prestar depoimento ao Exército. O ano era 1964 e Pedro, líder camponês, estava na mira da ditadura militar no Brasil.