Inflação entre a terceira idade recua no 3º tri, mas ainda é maior que a do restante da população

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por pessoas com mais de 60 anos, registrou no 3º trimestre variação de 0,69%, queda de 1,61 ponto percentual em relação ao 2º trimestre, quando o índice foi de 2,3%.
Em 12 meses, o IPC-3i acumula alta de 5,15%. Com este resultado, a variação do indicador ficou acima da taxa acumulada pelo IPC-BR, que mede a inflação do restante da população, que foi de 4,64%.
Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação, cuja taxa passou de 2,5% para -1,57%, com destaque para hortaliças e legumes, que variou -31,93%, no terceiro trimestre, ante 12,31%, no anterior.
Contribuíram também para o decréscimo da taxa do IPC-3i os grupos Habitação (3,08% para 1,74%), Saúde e Cuidados Pessoais (2,55% para 1,20%), Transportes (2,39% para 0,73%) e Vestuário (1,05% para -0,55%).
Em contrapartida, os grupos Educação, Leitura e Recreação (-0,98% para 2,21%), Comunicação (0,09% para 0,22%) e Despesas Diversas (0,35% para 0,66%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.
Veja os destaques de alta e baixa:
Hortaliças e legumes (12,31% para -31,93%)
Tarifa de eletricidade residencial (13,97% para 5,27%)
Medicamentos em geral (3,17% para 0,47%)
Gasolina (7,83% para 1,79%)
Roupas (1,26% para -1,01%)
Excursão e tour (-4,29% para 7,4%)
Tarifa de telefone residencial (-1,41% para 0%)
Cigarros (0,01% para 2,63%)