De mudança a luto: personal organizer é opção de carreira com nichos diversos; veja dicas de atuação


Acontecimentos como mudança, nascimento, separação e morte são alguns dos campos que podem ser habitados pelos profissionais da área.  Sua Chance: confira como é o trabalho do personal organizer
Ganhar dinheiro com a bagunça alheia pode parecer um pouco incomum, mas é exatamente este o nicho em que Aline Cunha, personal organizer de Campinas (SP), atua. O leque do mercado é extenso, segundo ela.
“Tem muito mercado. Pós-mudança, nascimento, quarto kids, separação, luto, lavanderia, dispensa. Espaço é o que não falta e casa também”, diz a personal, que já tem compromissos acertados até o meio do ano.
A personal organizer é responsável por organizar e diagnosticar todo o espaço útil do local em que está atuando. O profissional também ajuda seus clientes a desapegarem de objetos não utilizados, para otimizar e deixar a organização mais prática. O trabalho funciona por diárias e o valor depende do grau da bagunça.
Além da organização, a profissional de Campinas ensina o que sabe por meio de cursos presenciais e práticos. A diarista Maria do Socorro é uma das aprendizes. Quer potencializar o trabalho que já faz.
“Vou juntar faxina e organização, assim vou ajudar tanto as pessoas, como meu trabalho ficará melhor”, afirma a diarista.
Aline Cunha, personal organizer ganha dinheiro com a arrumaão de ambientes, em Campinas (SP)
Reprodução/EPTV
O curso tem duração de três semanas, nele os interessados aprendem a deixar o ambiente categorizado por “assunto”. Camisas, meias, caixas organizadoras etiquetadas, tudo separado por cores, texturas e uso.
Quem experimenta o serviço, aprova. A dona de casa Juliana de Carvalho e a dermatologista Ana Paula Azevedo afirmam que a organização personalizada facilitou a rotina. “Acho que agora me sinto mais leve, mas realizada”, conta a dermatologista.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas